Bush está Morto…

Pelo menos na ficção, esta notícia já é uma realidade.
[photopress:death.jpg,thumb,alignleft] O polêmico filme britânico “Death of a President” (“Morte de um presidente”), documentário fictício sobre o assassinato do líder norte-americano George W. Bush, foi exibido para o público pela primeira vez neste domingo em Toronto, no Canadá. O filme de 93 minutos, cujo tema provocou ultraje entre muitos norte-americanos, fez sua estréia mundial no Festival de Cinema de Toronto perante um público de cerca de mil pessoas. Após aplausos breves ao final da exibição, metade da platéia deixou o cinema rapidamente e a outra metade ficou no local para uma sessão de perguntas e respostas com o produtor e diretor Gabriel Range, de 32 anos.Range se queixou de que muitas pessoas se apressaram a criticar seu filme. Muitos dos comentários feitos ao diretor diziam respeito a como ele conseguiu fazer o filme ser tão realista e se as autoridades em Chicago, onde o filme foi rodado, sabiam o que ele estava fazendo.
Recebemos autorizações para filmar. Eles sabiam que o filme seria chamado “Death of a president” e que seria sobre a morte de um presidente – disse Range, acrescentando que ex-agentes do FBI foram consultores do projeto.
Range contou que usou material de arquivos e efeitos especiais digitais, como quando ele mostra supostas imagens noticiosas do presidente Dick Cheney, recém-empossado, fazendo um discurso no funeral de Bush.
Apesar do sensacionalismo do tema, o filme procura ser sóbrio e moderado na análise que faz dos efeitos sobre a sociedade americana das políticas pós-11 de setembro adotadas por Bush, especialmente sobre as liberdades civis.
O filme começa com manifestações contra Bush quando ele viaja a Chicago em 2007. Ao deixar um hotel, depois de fazer um discurso, ele é alvejado por um franco-atirador escondido num edifício próximo. Uma caçada policial leva à prisão de um palestino, sob evidências frágeis. Mais tarde o suspeito é condenado pelo assassinato e mantido na prisão, ao mesmo tempo em que novas evidências apontam para outro culpado. Espero que tenhamos conseguido transmitir o horror do assassinato do presidente. Já houve muitos filmes fictícios sobre assassinatos políticos, e não acho que ninguém terá a idéia de assassinar Bush pelo fato de ter assistido a este filme – disse Range.
Fonte: Agência O Globo

[photopress:lil_bush_seal_500_1_2_3.jpg,thumb,alignleft] Na verdade, o fato relatado no filme já é verdade, pois há muito tempo Bush já está morto, politicamente, é claro. Incapaz de reeleger seu sucessor e manter o partido republicano na cadeira mais importante do mundo, ele começou a adoecer quando perdeu o controle do Congresso, há dois anos. A partir daí, tivemos as polêmicas na Guerra contra o Iraque, divulgação das mentiras sobre as armas de destruição em massa, que nunca existiram, as falhas durante os atentados contra o WTC, a vergonha na prisão de Abul Graib, a ineficácia na prisão de Bin Laden e por fim, a recessão americana. [photopress:thasmybush_1.jpg,thumb,alignright] E se isso não fosse o bastante, com a proximidade do fim de seu mandato, moralmente ele ainda será alvo de pelo menos 2 séries de TV, exibidas pela Sony agora no resto do mundo, uma em forma de desenho, My Little Bush, já na 2ª temporada, e um seriado, “That’s My Bush!”, produzido em 2001 para esboçar a insatisfação hollywoodiana com o roubo da eleição na Flórida, onde é ridicularizado sem muito esforço, é claro. A chamada da série é algo do tipo “ele é incompetente, mas é um cara engraçado”.

Estou aguardando a versão brasileira, o “My Lula”. Só não sei ainda o que vão escrever depois do “mas”, ou mesmo se haverá um “mas”. O começo eu já sei. “Assista My Lula, ele é incompetente, ignorante, corrupto, mentiroso, pretensioso, imoral, arrogante, falso, ladrão….

Author: Lenilton Braga

Share This Post On

Acompanhe os novos artigos

Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.
%d blogueiros gostam disto: